Contacte-nos: info@permariam.org    |       +351 25 213 0513       

Todos os direitos reservados

© Per Mariam, 2019

Aumentar as preocupações sobre o Papa Francisco é difícil, mas essencial. Aqui está o porquê...

Hoje, o LifeSite está lançando  o John-Henry Westen Show , um breve comentário semanal sobre os desenvolvimentos noticiosos mais importantes da Igreja e da cultura. Começamos com uma série que expõe a dura evidência de nossas preocupações com o Papa Francisco.

(...)

The John-Henry Westen Show Ep. 1


"Toda semana nós também publicaremos a transcrição completa no meu blog, caso você prefira ler o conteúdo. No entanto, o show foi criado para o vídeo, a fim de mostrar, diretamente, a evidência do que estou a discutir. Encorajo-vos em primeiro lugar a assistir aos comentários em vídeo. "

(...)

(transcrição do vídeo abaixo)

Nos últimos seis anos, a LifeSite tem experimentado muitas dificuldades em relatar o que está acontecendo em Roma. Por 22 anos nós temos relatado sobre o Vaticano e, especialmente, as declarações dos Papas, focando mais na vida e na família.


Com João Paulo II e o Papa Bento, foi relativamente fácil.


Como diziam tantas coisas pró-vida e pró-família, foi uma alegria relatar. Foi um verdadeiro incentivo para líderes destas causas em todo o mundo - por ouvir as palavras de Papas que pareciam realmente ter esses assuntos como suas preocupações, mesmo quando às vezes seus bispos locais não o faziam.


Mas as coisas mudaram com a eleição do Papa Francisco. Depois de um ano a tentar explicar suas confusas declarações, e algumas vezes declarações que foram diretamente contra seus dois antecessores, sabíamos que nós tínhamos que relatar o que estava acontecendo e deixar as pessoas saberem o que se passa.


Os fiéis católicos precisam entender a gravidade da situação para que possam rezar como nunca antes pela crise na Igreja - orar, jejuar e agir.


Quando começamos a fazer isso, no entanto, percebemos que alguns de nossos seguidores mais leais - na verdade, alguns de meus amigos e até mesmo familiares - começaram a questionar o que estávamos fazendo. Como se, depois de tantos anos de reportagens fiéis e verdadeiras, estivéssemos começando a inventar coisas, até criar coisas do nada.


Eu tenho que te dizer como foi angustiante e ainda é. Eu sempre desejei que pudesse sentar com alguns de meus amigos e familiares para mostrar as evidências em primeira mão. E essa foi realmente a génese da série de vídeos que estou prestes a lançar amanhã.


A evidência de nossas preocupações com o Papa Francisco fala por si. A maioria de suas declarações controversas é feita na frente das comeras, então pegamos as imagens e as traduzimos, e extraímos as transcrições próprias do Vaticano para que possamos mostrar definitivamente o que aconteceu.


É totalmente compreensível que fiéis católicos querem mostrar lealdade ao papa. E nestes dias e época de 'notícias falsas' na grande mídia, desconfiar de uma agência de notícias também não é novidade.

Mas rezamos para que as evidências falem por si.


Os católicos acreditam que o papa é infalível, mas não com tudo o que ele diz ou faz, apenas em casos específicos em que ele está explicitamente definindo doutrina relativa à fé e à moral. E no que diz respeito ao confronto com o Papa, mesmo publicamente, temos o exemplo disso desde o início com o primeiro Papa - São Pedro.


Lembras-te do relato de Gálatas 2 quando São Paulo confrontou o Papa São Pedro por causa da recusa de Pedro em comer com cristãos gentios incircuncisos e comeria apenas com cristãos judeus? São Paulo relata que ele “se opôs” ao Papa, São Pedro, “à sua face” porque ele estava errado. São Paulo também observa que ele fez isso publicamente.


O maior doutor da fé da Igreja também comentou sobre a necessidade de continuar com essa tradição de corrigir o Papa quando necessário. St. Thomas disse:

… Se a fé estivesse em perigo, um sujeito deveria repreender seu prelado até publicamente. Por isso, Paulo, que era o súdito de Pedro, repreendeu-o em público, por conta do perigo iminente de escândalo relativo à fé e, como diz o brilho de Agostinho em Gál. 2:11, Pedro deu um exemplo aos superiores, de que se em algum momento eles se desviassem do caminho reto, eles não deveriam desdenhar de ser reprovados por seus súditos.

Outro ponto importante a ser feito é o que me foi dado por um bom e santo bispo, Sua Excelência Athanasius Schneider, de Astana, no Cazaquistão. Ele ensina que “os verdadeiros amigos do papa” são aqueles cardeais, bispos e leigos “que expressam sua preocupação pública sobre essas questões muito importantes e sobre o estado de confusão na Igreja”.


O bispo Schneider disse que aqueles que realizam “adulação do Papa” e “negam a evidência” de que há ambiguidade nos ensinamentos do Pontífice está causando confusão e não estão a ajudar em nada o Papa nem a si mesmos, quando eles enfrentarão seu julgamento final.


O bispo Schneider citou Melchior Cano, um famoso bispo dominicano e teólogo do Concílio de Trento. Ele disse:

Pedro não precisa de nossas mentiras; ele não precisa da nossa adulação. Aqueles que fecham os olhos aos fatos e defendem indiscriminadamente todas as decisões do Sumo Pontífice são aqueles que mais contribuem para minar a autoridade da Santa Sé. Eles destroem suas fundações em vez de fortalecê-las.

Para nós da LifeSite, chegamos a isso de uma perspectiva que assumimos como um lema - Caritas in Veritate - Amor na Verdade. Reconhecemos que às vezes é difícil, mas por amor e um desejo sincero pelo bem dos outros, devemos falar a verdade mesmo quando é impopular.

O mesmo acontece com o Papa Francisco. Nós o amamos e oramos diariamente por ele, tanto individualmente quanto como pessoal em nosso chamado de oração da manhã.


E não podemos fazer, como alguns sugeriram e, apenas manter a cabeça baixa e 'esperar', porque há almas em jogo e ainda mais pessoalmente nossos próprios filhos estão sendo confundidos. Eu tenho oito filhos, incluindo cinco adolescentes e dois em seus vinte anos. Eles estão a ficar confusos.

A verdade de Cristo significa tudo para nós. Ele é o único caminho para a vida eterna e fora dele há apenas o inferno eterno.


Não há ódio ou animosidade aqui em relação ao Papa Francisco. Há uma preocupação amorosa e uma disposição para confrontar até mesmo o Papa quando se trata de erros que ameaçam a fé. Nós tentamos o nosso melhor para fazê-lo com respeito e caridade, mas também com clareza.


Via: LifeSite ( artigo completo e texto original )

Traduzido do inglês