Contacte-nos: info@permariam.org    |       +351 25 213 0513       

Todos os direitos reservados

© Per Mariam, 2019

Uma oração de 18 séculos a Nossa Senhora para rezarmos na hora de sair de casa

Ela já era invocada como Mãe de Deus em pleno século III, bem antes que esse dogma fosse promulgado.



A Biblioteca John Rylands, de Manchester, na Inglaterra, adquiriu em 1917 um grande painel de papiro egípcio escrito em koiné, o dialeto grego popular que servia como língua franca em toda a região Mediterrânea. É o mesmo dialeto grego, aliás, em que foram escritos os Evangelhos.


No papiro em questão há um fragmento, numerado pela biblioteca como 470, cujo conteúdo, decifrado em 1939, parece proceder de uma antiquíssima liturgia cristã copta de Natal.



Trata-se de uma oração a Nossa Senhora, possivelmente composta no século III, na qual Maria é invocada como “Theotókos”, um termo grego que significa “Mãe de Deus“.


É importante observar que a maternidade divina de Maria só viria a ser oficialmente explicitada pela Igreja no III Concílio Ecuménico, o de Éfeso, cerca de duzentos anos depois. Ou seja: os primeiros cristãos já veneravam Nossa Senhora como Mãe de Deus desde bem antes que o dogma fosse promulgado – e ao menos um século antes de Constantino e do Edito de Milão.


“Sob a vossa proteção”


Diz a oração:

Sob a vossa proteção nos refugiamos, Mãe de Deus! Não desprezeis as nossas súplicas em nossas dificuldades, mas livrai-nos do perigo, Vós, toda Santa e bendita!

Esta oração passou a ser tradicionalmente rezada quando se sai de casa, pedindo o auxílio de Nossa Mãe.


“Sub tuum praesídium”


Conheça também a versão em latim:

Sub tuum praesídium confúgimus, Sancta Dei Génitrix; nostras deprecatiónes ne despícias in necessitátibus nóstris, sed a perículis cúnctis líbera nos sémper, Virgo gloriosa et benedicta.

Via: Aleteia